Lisboa: Paulo Mendes da Rocha, Membro Honorário do CIALP
27-05-2015

Lisboa | O Arqº Paulo Mendes da Rocha (Vitória/ Brasil, 1928) foi homenageado com a outorga do título de Membro Honorário do CIALP em cerimónia que decorreu a 20 de Maio no Auditório Nuno Teotónio Pereira da Ordem dos Arquitectos no Edifício dos Banhos de São Paulo, em Lisboa, e que contou com casa cheia.

Para além do Presidente do CIALP, a cerimónia contou com a presença do Arqº João Santa-Rita (Presidente da Ordem dos Arquitectos de Portugal), do Arqº Rui Leão (Vice-Presidente do CIALP e Vice-Presidente da Associação dos Arquitectos de Macau), do Arqº Vítor Leonel Miguel (Bastonário da Ordem dos Arquitectos de Angola e Tesoureiro do CIALP) e do Arqº Juscelino Ten Jua (representante da Ordem dos Engenheiros e Arquitectos de São Tomé e Príncipe). Para além de inúmeras individualidades, contou, ainda, com a presença do Presidente e do Director Executivo da Casa da Arquitectura, respectivamente Dr. Guilherme Pinto e Arqº Nuno Sampaio, pois a homenagem foi associada à cerimónia de doação do projecto do novo edifício do Museu Nacional dos Coches à Casa da Arquitectura.
Transcrevem-se, de seguida, as palavras do Presidente do CIALP na ocasião:

“É em momentos como este que eu gostaria de ter as palavras mais certas que teriam de ser as mais generosas, as mais extraordinárias e as mais singulares.
Porque com elas surgiria o testemunho que aqui deveria fazer-se diante de um homem generoso com a arquitectura e com a humanidade, com uma obra tão extraordinária quanto singular.
Não basta dizer-se que o Arqº Paulo Mendes da Rocha é uma das mais personalidades mais marcantes da arquitectura contemporânea, e muito menos que é uma estrela de um céu já hoje tão estrelado que arrisca perder-se em vazio.

A sua é outra luz e de outra natureza.
É a luz de uma pessoa de corpo inteiro que aprendemos a apreciar na sua inteligência aguda, na sua cultura ampla e na sua entrega à causa pública. É a luz de uma arquitectura que faz desta mesma dimensão pública a sua razão de ser e não se rende à injustiça ou ao entretenimento. É a luz desta mesma postura ética presente em toda a sua obra, sempre dirigida ao maior número e à busca de uma vida decente em espaço generoso, fluído e público. E é a luz de uma arquitectura em que a técnica mantém-se inspiradora e emancipadora em engenhos extraordinários, concentrando construção, espaço e forma em singularidade progressista e certeira, com tudo precisado no sítio certo em composição, justeza e proporção, como se tudo fosse tão simples quanto indivisível, como se tudo fosse evidente em si mesmo.

Paulo Mendes da Rocha inspira-nos no ar que respira, nas palavras que diz e na obra que gera. Para nós, os arquitectos de língua portuguesa, permanece e permanecerá como um exemplo incontornável do arquitecto entregue à Arquitectura, entregue à profissão e entregue à cidadania.
Por estas razões, em reconhecimento do seu contributo à arquitectura contemporânea e à profissão de arquitecto, incluindo nos Países e Territórios de Língua Portuguesa, o CIALP decidiu outorgar-lhe a sua máxima distinção: o título de Membro Honorário.

Agradecemos a Paulo Mendes da Rocha ter aceite esta nossa distinção e fazemos votos para que, durante muitos anos, continue a fazer de cada manhã um amanhã mais justo, mais fraterno e mais belo para o mundo e para este pequeno planeta onde todos vivemos”.

João Belo Rodeia
Presidente do CIALP

*